Pão com linguiça


Foto: Dirceu Garcia/Comércio da Franca

É uma receita econômica, que rende dois pães grandes

Sônia Machiavelli

Editora

Talvez porque toda vez que fazemos pão estamos retomando o prazer primevo de descobrir que o fogo mudava o sabor do trigo e liberava perfumes, sinto grande conforto neste exercício. Escolher e reunir os ingredientes sólidos e líquidos, misturá-los até que formem uma bola que desgruda fácil das laterais da tigela, depois sovar, esticando e dobrando a massa muitas vezes, esperar crescer colocando uma bolinha no copo de água e vê-la de repente subir, sinal de que o processo de fermentação foi concluído com êxito: tudo isso para mim é terapêutico.

Não digo que seja colecionadora de receitas de pães, mas sempre que vejo alguma diferente, recolho e experimento. Foi assim com essa que trago hoje para os leitores e conheci em uma pousada de Campos do Jordão, onde estive este ano. Só de olhar na mesa do bufê aquele pão amarelo e grande, cuja textura macia era evidente, me deu vontade de saber como era feito. Perguntei à cozinheira, que no seu sotaque sulista me informou ser um pão que vinha fazendo há anos, desde seus tempos de moça em Gramado. Fiquei surpresa quando ela elencou entre os ingredientes a batata salsa, também conhecida como mandioquinha, pois por aqui a vemos mais é nas papinhas de bebês. Também achei interessante que o recheio fosse feito com linguiça ralada. Mas ralada como? “Tu passa no ralo, lado grosso, a linguiça tem de ser a defumada”. Ah, sim.

De volta a casa, segui as indicações orais da gaúcha e o resultado foi ótimo. É uma receita econômica, que rende dois pães grandes, bem próprios para saciar a fome a qualquer hora do dia, embora pareça que sejam mais apropriados a lanches e antepastos. Vou dizer como fiz. Primeiro raspei e cozinhei as batatas. Escorri, passei no espremedor enquanto ainda estavam quentes, obtendo um purê bem fino. Reservei. Numa tigelinha misturei fermento com leite morno. Em seguida peneirei farinha com pitada de sal em uma bacia e fui juntando os ingredientes: o fermento, o purezinho amarelo, a margarina, o ovo. Mexi com a colher de pau até virar uma bola. Coloquei em cima do granito, sovei um pouco, deixei crescer numa vasilha que cobri com filme plástico. Enquanto esperava a massa fermentar, fiz o recheio, refogando num fio de azeite cebola, alho, tomate e a linguiça calabresa defumada ralada. Mexi e desliguei a chama, acrescentando cheiro verde. Bom, aí vi a bolinha de massa boiar no copo. Estava na hora de dar forma e levar ao forno. Na superfície enfarinhada, usando rolo, fiz dois retângulos, correspondentes a dois pães. Em cima, espalhei o recheio, deixando as duas margens menores livres. Enrolei como rocambole, apertei as extremidades, coloquei na forma de bolo inglês. Forno a 220 graus, meia hora. O resultado você vê na ilustração desta página.

Clique na imagem para ampliar:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s