Pimenta, pimenta, pimenta…


Pimentas (Foto: divulgação)

Além de dar aquele realce à comida, é um alimento muito nutritivo, tem propriedades antioxidantes, protegendo o organismo dos radicais livres e retardando o envelhecimento. Também é rica em vitaminas. As superpicantes malaguetas verde e vermelha, por exemplo, contêm muita vitamina A e C. A variedade doce, por sua vez, ajuda a prevenir o câncer. “Além disso, provocam a liberação de endorfina, substância fabricada pelo cérebro que tem efeito analgésico e proporciona sensação de prazer”, explica a nutricionista Solange Guidolin Canniatti Brazaca, mestre em ciência e tecnologia de alimentos.

Para alegria de muitos, as pimentas aumentam a taxa metabólica do organismo, fazendo com que aproximadamente 6 gramas de pimenta queimem cerca de 45 calorias. Já a Capsaina, substância encontrada na pimenta, tem a propriedade de proteger a mucosa contra danos causados pelo álcool. Entre todas as propriedades terapêuticas, podemos destacar a de ser um antibiótico natural e ter propriedades cicatrizantes.

Pimentas realçam o sabor dos alimentos e, dependendo do prato, temos que diferenciar as variedades para combinar o ardume e o sabor. A ardência da pimenta, única no reino vegetal, é resultado da presença de um grupo de alcalóides específicos.

As variedades ardentes ou quentes são as pimentas Chile, cada uma com um nome diferente. Já as Pimentas de ‘sino’, ou pimenta doce, como são mais conhecidas, são as pouco picantes, de aspecto maciço, como o pimentão. Os sabores e as cores estão diretamente ligados. Por exemplo, pimentas de vermelho vivo são superiores no sabor do que as verdes. Além disso, toda pimenta muda de cor de acordo com sua maturação, passa do verde para outra matiz, principalmente o vermelho. Depois do sal, é o condimento mais utilizado em todo mundo por ser encontrado facilmente em todo lugar.

Pimenta Crocante Recheada

Ingredientes
• 200 g de pimenta tipo dedo de moça (médias) com o cabo (+/- 25 unidades)
• água o suficiente para aferventar
• 200 g de salgadinho de milho moído (sabor queijo)
• 1 xícara e meia (chá) de farinha de trigo
• 1 xícara (chá) de água com gás gelada
• óleo o suficiente para fritar
• recheio de sua preferência
• sal a gosto

Modo de preparo: é recomendável trabalhar com luvas enquanto estiver manuseando as pimentas.

1- Pegue a pimenta média, tipo dedo de moça, com o cabo (+/- 25 unidades) e com auxilio de uma faca pequena, faça um corte no meio de cada pimenta, no sentido do comprimento, sem desgrudar o cabo. Retire as sementes com cuidado para não danificar as pimentas.
2- Ferva água em uma panela e assim que ferver, jogue as pimentas, espere levantar fervura novamente e conte 1 minuto. Retire as pimentas da água quente e jogue-as na água gelada para dar o choque térmico. Repita este procedimento de ferver e dar o choque por mais 5 vezes. Ele é essencial para tirar um pouco do ‘picante’ das pimentas.
3- Recheie as pimentas com recheio de sua preferência (carne, linguiça). Tome bastante cuidado para que elas não estourem.
4- Numa tigela misture a farinha de trigo com 1 xícara (chá) de água com gás gelada e sal a gosto. Reserve.
5 – Segure a pimenta recheada pelo cabo, mergulhe-a na mistura de farinha e água, escorra o excesso da mistura, passe no salgadinho de milho moído (200 g) e depois frite em óleo quente (160 graus) por uns 3 minutos até dourar ligeiramente. Sirva como aperitivo.

Anúncios

Um pensamento sobre “Pimenta, pimenta, pimenta…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s