Check-Out: Gastronomia em Campos do Jordão


Campos do Jordão desfruta de culinária única como o pinhão usado em pratos doces e salgados

Campos do Jordão desfruta de culinária única como o pinhão usado em pratos doces e salgados

Estou chegando ao fim da minha especialização, e lidar com as energias do fim requer um otimismo incomum, porque a gente se afeiçoa às pessoas, aos cheiros e cores do lugar. Desde o início, eu desejava partilhar com vocês minhas experiências gastronômicas na cidade, cada domingo uma dica boa. Sinceramente, faltaram experiências dignas de nota e eu não queria desancar a cidade que tão bem me recebeu semanalmente. Penso, a gastronomia em Campos do Jordão deixa muito a desejar, diga-se o mesmo para o atendimento.

Tá legal, o café espresso é uma boa exceção, em todos os lugares que tomei estava bom. O mesmo se diga do chocolate quente, tem ótimos, em qualquer boteco. O legal de Campos do Jordão é que, por estar inserido no Vale do Paraíba, desfruta de uma culinária única, com a ocorrência de ingredientes que são a cara do lugar, ditos de terroir, e isso faz com que comer seja uma experiência, porque o que se come lá não se come em outro lugar.

É o caso da truta, do pinhão, da formiga…A truta cabe uma explicação, claro, ela não é endêmica de lá, mas levada para os rios daquela região, por conta do clima frio de montanha, ela se adaptou muito bem e virou prato típico.

O pinhão, esse sim, um original ingrediente de terroir. Com ele se faz doce e sal. O arroz, a carne com pinhão, são bastante apreciados. Muito gostoso também é o bolo de pinhão feito pela Flávia do restaurante Sabor da Provence. Essa fruta oleaginosa, de alto valor nutritivo, mantém vivo seu vínculo com a população. Meus amigos de curso não compram o pinhão, eles os colhem no horto, por exemplo. Eles também me informaram que o pinhão fresco, apanhado tão logo despenque da araucária, tem sabor muito superior ao comprado. E mais: algumas famílias vivem da coleta do pinhão, extrativismo puro, sem qualquer intervenção na natureza.

As trutas são boa opção, prefiram as mais simples, sem muito molho. Elegemos como melhor, a truta da Truticultura Cachoeirinha. É um restaurante que fica dentro de um pesqueiro, portanto estamos falando de frescor! Recentemente eles estão servindo o sashimi de truta.

Ah! Claro, não poderíamos nos esquecer do fondue. Minha amiga e chef Bruna, diz que não tem pra ninguém, embora o preço seja salgado, o melhor fondue de Campos do Jordão é no Só queijo. E se for de carne, Toribinha.

Agora, se o gosto é por pizza não tem dúvidas, a melhor é a da Arte da Pizza, que fica no Grande Hotel. O preço também não é atrativo, mas trata-se de pizza gourmet, feita com ingredientes italianos, com massa mais fina e recheios delicados, além de uma boa carta de vinhos – além de estar encrustada dentro da mata Atlântica, justamente o pedacinho dela que eu ensaio despedidas.

DICA DA SEMANA

Suan

Chego eu para mais uma aula em Campos do Jordão e sou recebida efusivamente pela professora Fátima Freitas. Dizendo ela: “minha conterrânea, como está Franca?” Pois é, a Fátima Freitas é de Franca. Ficamos amigas, acho. Estudamos e fizemos comida: rabada com quibebe de abóbora e vinagrete. Para o lanche, arroz com suan e couve. Arroz com suan não é difícil de fazer, mas tem duas dicas: deve-se ter mais carne que arroz, 300 de carne, sem osso, e 200 de arroz. E a quantidade de água para cozimento de arroz deve ser reduzida a 1/3.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s